Desvendando o Marketing Viral

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Email -- LinkedIn 0 Google+ 0 0 Flares ×
Reading Time: 3 minutes

Chegou a hora de você conhecer como funciona o marketing viral

Epidemia, essa é a melhor palavra para tentar descrever o que é o Marketing Viral. Caracterizado por ser uma propaganda que utiliza o receptor de uma mensagem como o próprio mensageiro, essa interessante estratégia de vendas vem ganhando cada vez mais força e pode ser um instrumento muito útil na hora de preparar planos de marketing empresarial.

Com o nome que nos remete ao vírus, tal técnica publicitária “ataca” de forma rápida, contaminando um indivíduo que irá contaminar, em teoria, mais do que um. Utiliza o conceito de pirâmide e por isso traz eficácia na divulgação da mensagem. Metaforizando, nós somos as células contaminadas pelo vírus, que é a mensagem em si. E o local onde tudo isso acontece é na Internet, em especial nas redes sociais.

Pôneis Malditos. Impossível esquecer…

Nesse ponto do texto, você já deve estar pensando em diversas propagandas que se caracterizam como virais. Cuidado! Marketing Viral é uma ferramenta de publicidade que é previamente orquestrada e planejada antes de tornar-se pública. Tudo é detalhadamente posicionado de forma a impulsionar o sucesso da transmissão da mensagem. Um gatinho tocando piano pode ter sido visualizado e compartilhado milhões de vezes, mas seu sucesso foi acidental e sem qualquer objetivo profissional.

Para que o marketing viral seja utilizado de forma que garanta frutos à sua empresa, é necessário saber o que seu público alvo tem em comum para “infectá-los” com uma novidade que os façam distribuí-la de forma rápida. E como nem tudo que é jogado na rede tem seu compartilhamento garantido, existem algumas regras para que o viral obtenha sucesso, vamos citá-las:

Tempo: Talvez o principal elemento que defina o sucesso ou não da propaganda.  É necessário encurtar ao máximo o tempo que o uma pessoa visualiza o conteúdo e a compartilha.

Não é promoção: O objetivo primário do Marketing Viral é divulgar a empresa através de uma forma que toque o público alvo de forma pessoal. Não se trata de fazer uma promoção para vender certo produto, mas sim de se vender uma ideia.

Surpresa: O viral deve chocar o seu alvo. Deve causar a sensação de surpresa, de “como eles pensaram nisso?” e mais do que isso, causar o sentimento de “preciso mandar isso para Fulano, ele precisa ver!”.

Simplicidade: O conteúdo precisa ser fácil de se entender. Um vídeo que contém uma piada sarcástica ao melhor estilo Cult, pode até ser interessante, mas não ter grande apelo comercial.

“Logística”: Primeiro divulgue seu vídeo para o maior grupo de pessoas possível. Esse grupo será responsável o receptor primário e, se compartilharem, mensageiros. Quanto mais pessoas forem atingidas pelo viral no grupo primário, maior será o número de pessoas atingidas em sequência. É pura matemática. E para incrementar a divulgação, vale tudo: Adworks, FacebookAds, Banners etc..

Essas são apenas algumas dicas. Para exemplificar o Marketing Viral, utilizemos as propagandas que o Internet Explorer produziu para a divulgação de seu novo navegador.

Primeiro caso – “The browser you loved to hate”

Essa propaganda é curiosa e engraçada. Cientes das diversas críticas que os navegadores IE tem recebido durante os anos, a ideia do viral é satirizar a própria empresa. Ao invés de se defender das críticas, ela entra no jogo. Assume que realmente está para trás no mercado, utiliza das mesmas piadas dos críticos, mas salienta que sua nova versão é “realmente muito boa”. Outro detalhe interessante é a frase final do comercial, “better browser + cute cat = time to reconsider”.

Segundo caso – “Child of the 90’s

Assim como na propaganda anterior, esta identifica seu público alvo (pré-adolescentes nos anos 90) e tenta criar um laço de intimidade através dos elementos nostálgicos do vídeo. Por fim, a propaganda é feita de forma sutil, porém muito clara: “Você cresceu, e nós também. Reconecte-se com o novo Internet Explorer”.

Para finalizar, é importante lembrar que, por mais que o viral seja alimentado por visualizações e compartilhamentos, vale-se da regra de que “tudo que é demais enjoa”, lembre-se de respeitar a “poluição visual”, entretanto, saiba quando reforçar a mensagem de forma criativa, como a Nokia fez com a campanha “Perdi meu amor na balada”, em que a cada vídeo era contada um pouco mais da busca de Daniel pela sua amada Fernanda. (Releve aqui o fato de a Nokia ter feito o viral em segredo, anunciando seu produto e marca apenas no último vídeo, causando revolta em muitos telespectadores)

Related Post

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Email -- LinkedIn 0 Google+ 0 0 Flares ×
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Email -- LinkedIn 0 Google+ 0 0 Flares ×