LOADING

Consultoria de e-mail marketing: como tirar o melhor proveito

Consultoria de e-mail marketing: como tirar o melhor proveito

por Tatiane Gonsales agosto 02, 2016
Consultoria de e-mail marketing

Consultoria de e-mail marketing: dá para tirar o máximo de vantagens disso?

É comum que na hora de pensar em consultoria de e-mail marketing você pense “nossa, mas isso realmente é necessário e traz resultados?“. Nós temos falado por aqui do quanto o e-mail é um poderoso canal para empresas que querem avançar em sua presença digital (lembra do post que trouxe 7 dicas matadoras para e-mail marketing?).

Além de estabelecer uma comunicação cada vez mais eficaz e segmentada, o queridinho do Inbound Marketing também salta aos olhando quando o assunto é retorno financeiro. Em 2014, mais de 23% das vendas de produtos e serviços por empresas tiveram como origem esse canal. Tentador, não?

Mas, como em tudo na vida, antes de colher os resultados é preciso trabalho! Por isso, fique de olho bem aberto nessas recomendações.

Elas mostram como tirar melhor proveito da consultoria de e-mail marketing e, principalmente, o que você deve saber para acompanhar de perto esse trabalho.

Antes de mais nada, é imprescindível que você saiba as diferentes oportunidades de uso do e-mail (engana-se quem pensa que tem uma só):

Há 5 diferentes tipos de e-mails, sabia? E são eles:

#1 Newsletter

Ela costuma ser a mais famosinha das estratégias de e-mail de marketing. Consiste no envio regular de conteúdos para os quais o internauta sinalizou interesse (sejam atualizações do blog ou mesmo de atualizações em canais de mídias sociais e assim por diante).

Esse formato é utilizado em várias ações de marketing digital! Por isso, costuma-se mensurar seu sucesso pela taxa de abertura de e-mail e taxa de cliques, entre outros quesitos.

Consultoria de e-mail marketing

#2 Campanhas promocionais

Esse formato está cada vez mais usual por trazer em si a característica de apresentar uma oferta ou produto, atribuindo um foco específico para o e-mail que seguiu para a caixa de entrada do internauta.

Muitas vezes esse termo “promocional” é entendido de maneira equivocada (tipo saldão, sabe?). Mas não é nada disso! Significa apresentar uma comunicação desejada a um público definido, específico.

#3 E-mails transacionais

O nome não ajuda, mas esse formato basicamente é utilizado por serviços ou e-commerces, com envio de mensagem para a caixa de entrada do internauta para confirmar usuário, informar do processamento de pagamento, troca de senha e por aí vai.

É comum também o envio de oferta de conteúdo para ser baixado por link. Há blogs que enviam e-mail para que a pessoa acesse e faça o download do e-book ou infográfico que tenha demonstrado interesse, por exemplo.

#4 Ciclo de vida do e-mail (ou lifecycle email)

Outra estratégia bem comum em consultorias de e-mail marketing é estruturar uma campanha nesse canal que funcione como uma espécie de ciclo de vendas. Nesse caos, há uma segmentação bem parruda, diferenciando, por exemplo, os tipos de clientes que você possui na sua base. Isso favorece uma comunicação ainda mais assertiva com sua base e contribuir para aumentar a taxa de retorno.

#5 Automação de marketing

Aqui está a sensação do momento na estratégia de Inbound Marketing. Essa abordagem é possível a partir da utilização de ferramentas tecnológicas que estabelecem uma comunicação altamente segmentada e individualizada.

Nós preparamos um post no blog que esclarece bem o quanto a adesão de uma solução focada em automação de marketing pode agregar para a sua empresa.

Como definir o mailing para enviar um e-mail marketing?

Pronto, você já conhece algumas possibilidades. Mas sabe para quem enviar? Está aí outra questão importante quando o assunto é mailing da sua empresa.

Qualidade > Quantidade

Há uma prática muito comum (e nada adequada, diga-se de passagem) que é a compra de banco de emails para envio de mensagens. Mais ou menos aquele raciocínio: “quanto mais endereços eletrônicos eu tiver, mais chances de converter vendas, certo?” Errado!

Não é a quantidade e, sim, a qualidade desses contatos. Se você começar o envio sistemático de e-mails a pessoas que sequer conhecem o seu produto ou serviço (e nem se prontificaram a receber essa comunicação), a imagem do seu negócio será abalada.

Fatalmente, uma das primeiras consequências será o descadastro da base. A partir daí, outras consequências ocorrem num efeito cascata (como sua empresa não ser bem posicionada nos servidores de email, que sempre atuam para melhorar a experiência do usuário).

Frequência de envio

Outra dúvida bem comum que ouço por aí nas empresas é quanto à frequência e dia certo de envio dessa comunicação. Já presenciei algumas pessoas mencionarem, orgulhosas: “Eu loto de mensagens para o cliente não se esqueça da minha empresa!”.

Logo esclareço que essa, de fato, é a melhor maneira de a pessoa não esquecer da empresa (mas no sentido pior possível). Quem aí gosta de receber váááárias mensagens de um único remetente, de uma única empresa? Acredito que ninguém tenha levantado a mão!

Por isso, a consultoria de e-mail marketing contribui para pensar a estratégia certa de envio, analisando a frequência ideal (usualmente, a cada quinze dias ou dependendo do produto ou serviço até com envio semanal). Esse apoio profissional vai auxiliar ainda a traçar esses aspectos fundamentais para o sucesso da estratégia de e-mail:

  • Quais são os melhores dia e horário para envio da mensagem?

  • Como deve ser formatado o e-mail?

  • Como cuidar do meu mailing para que ele esteja higienizado?

  • Como criar um assunto de e-mail curto e atrativo?

E segue nessa linha os aspectos importantes para você trabalhar em sintonia com a consultoria de e-mail marketing.

Agora, uma coisa é bom que se diga: não existe nenhuma atuação no ambiente digital sem mensuração (ou se existe, ela não é bem feita). Por isso, outra definição importante ao estabelecer essa estratégia para sua empresa é quanto aos indicadores que avaliam se estamos no caminho positivo ou não.

E quando falo de indicadores, não estou falando da quantidade de e-mails que sua empresa tem, está certo? Olha só quanta coisa você pode monitorar para avaliar se tudo está ocorrendo como desejava:

  • Taxa de abertura;

  • Tráfego para o seu site a partir do e-mail;

  • Taxa de inativação da lista;

  • Percentual de clique no link;

  • Leads gerados (ou vendas concretizadas),

  • Taxa de descadastro.

Isso só para falar de algumas!

Espero, realmente, que esse post tenha ajudado você a compreender melhor as possibilidades que uma consultoria de e-mail marketing pode oferecer ao seu negócio. Se ficou alguma dúvida, deixe aqui nos comentários para conversarmos mais! 🙂

Até o próximo post!

Deixe seu comentário
Compartilhar
Newsletter-Image

Assine a nossa Newsletter

Inscritos recebem conteúdo exclusivo